segunda-feira, 18 de abril de 2011

REMEMORAÇÕES


"Era meados da década de setenta... Naquela época lá nas bandas do pé da Penaduba a comunicação ainda era via fumaça. Nada de rádio, de televisão e tantas outras mídias, tal qual nossos dias... Pois bem...  Aquilo que seria nos dias de hoje uma rotina enfadonha, mas não era,  ou seja, o silêncio geral das casas era quebrado pelo menos uma vez a cada dois meses ano após ano. Era a visita dos cumpadres e cumadres... Feitas geralmente aos sábados ou domingos era dia de festa. Meninos a brincar nos terreiros, debaixo das goiabeiras, comadres a conversar lá nas cozinhas e cumpadres nos alpendres. Ao menor indício de aproximação da pivetada, a conversa silenciava, com uma repreenda do tipo: '- Vão brincar lá fora!!!'  Sobre quais segredos tanto conversavam? E assim o tempo foi passando... Mas... Mas... Eu disse: Mas... Num é que ontem prazerosamente vivi um pouco de dia do cumpadre, mesmo sem sê-lo. Foi o resultado de uma nobre visita em nossa modesta taba, do colega e parente o professor Raimundinho Eliano. Em pelo menos duas horas de conversa, enquanto as pequenas traçavam procedimentos para a feitura de um trabalho escolar, rebobinamos o filme  do passado não tão recente, e debulhamos pelo menos três décadas de assuntos dos mais variados. Desde a educação daquela época à  'educação' de nossos dias, passando pela 'bem-intencionada' idéia do Mobral, política e tantas outras coisas mais. Foi um acontecimento tão bom que recomendo. Ah! Ia-me esquecendo. Como é do meu feitio, aqueci orelhas de muita gente... Fazer o quê? Eu não mudo mesmo, né... Mesmo com este chuvueiro todo e tanto brejo, acho que aqueci até debaixo do chão. Tenho dito... E sempre!!!"
 (MANUEL DE JESUS)

Fonte: Sindproc

Nenhum comentário: